Nacional

Começa retirada dos residentes no aeródromo de Inhambane

2021-03-08 08:03:18 (UTC+00:00)

Cerca de 270 famílias que construíram suas residências na zona de servidão do aeródromo de Inhambane, poderão ser retiradas, de forma a repor as condições de segurança e visibilidade necessária para operações aeroportuárias.

MAPUTO- De acordo com o Presidente do Conselho Autárquico de Inhambane, Benedito Guimino, a operação da retirada compulsiva daquelas residências que foram construída à revelia das autoridades locais, vai iniciar esta semana e as pessoas serão reassentadas nos bairros Muelé III, Marambone e Malembwane.

Nestes locais, segundo explicou Guimino, a edilidade esta a criar condições básicas necessárias, nomeadamente, unidade sanitárias, água canalizada, escolas, energia eléctrica e vias de acesso. Nos mesmos locais, são reassentadas as famílias que estão sendo retiradas dos bairros Chalambe I e II, zonas ciclicamente afectadas pelas cheias na cidade de Inhambane.

O edil da cidade de Inhambane indicou que no que diz respeito às condições básicas nos locais de reassentamento, falou da existência das escolas secundárias de Muelé, Completa de Machare, a anexa de Muelé em Guitambatuno, e o centro de saúde 25 de Setembro como sendo as condições básicas necessárias na construção de novos bairros populacionais.

“Estamos a trabalhar com a FIPAG e EDM para canalizar água e instalar energia eléctrica para estes locais. O INGD também poderá fornecer kits de material de construção para apoiar algumas famílias vulneráveis sem condições para reconstruírem suas casas”, assegurou Guimino.