Nacional

“Eloise” pode aumentar disponibilidade de água nas barragens que abastecem Grande Maputo

2021-01-21 08:15:59 (UTC+00:00)

O ciclone tropical Eloise, que deve atingir o país no sábado, vai gerar chuva que poderá elevar os volumes de armazenamento das barragens dos Pequenos Libombos e Corumana, que garantem o abastecimento de água potável à região do Grande Maputo.

MAPUTO- A projecção foi apresentada ontem, em Maputo, por Agostinho Vilanculos, da Direcção Nacional de Gestão de Recursos Hídricos, baseando-se nos dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INAM), que apontam para um volume de precipitação na ordem de 200 a 300 milímetros em 48 horas.

Vilanculos, que chefia o Departamento de Gestão de Bacias Hidrográficas, precisou que se, pelo menos, 10 por cento deste volume de chuvas vierem a montante, a Barragem dos Pequenos Libombos, localizada em Boane, poderá encaixar 65 milhões de metros cúbicos. Desta forma, a infra-estrutura sairia dos actuais 17 para mais ou menos 30 por cento do volume de armazenamento, o equivalente a cerca de 130 milhões de metros cúbicos.

Falando em Maputo no Conselho Técnico de Gestão de Calamidades, apontou que em relação a Corumana, a previsão é de receber 100 milhões de metros cúbicos, elevando os níveis de armazenamento para perto de 300 milhões, o que, segundo ele, seria muito benéfico e confortável para o abastecimento de água à região do Grande Maputo, que junta os municípios de Boane, Matola, capital do país e a vila de Marracuene.

Durante várias décadas, o abastecimento de água a Maputo foi assegurado pela barragem dos Pequenos Libombos, alimentada pelo rio Umbelúzi, mas desde o ano passado esta também é disponibilizada do Incomáti, a partir da barragem de Corumana, implantada no distrito da Moamba.

Não obstante os benefícios que se esperam do ciclone no enchimento das duas barragens, cruciais para Maputo, alerta-se aos residentes de bairros da capital e Matola, com problemas de drenagem de águas pluviais, para se precaverem de possíveis inundações.

“Eloise”, que atingiu Madagáscar na terça-feira como tempestade tropical severa, deverá entrar no Canal de Moçambique hoje, onde se prevê que evolua até ao estágio de ciclone tropical, devendo atingir a costa da zona Norte de Inhambane no sábado.

O sistema vai afectar o estado de tempo nas províncias de Sofala, Inhambane, Gaza e Maputo, gerando ventos fortes e chuva intensa.