Nacional

Funcionários dos "Bilhetes de Identidade" punidos por praticarem actos ilícitos

2021-01-19 15:17:03 (UTC+00:00)

A Direcção Nacional de identificação Civil (DNIC) abriu 11 processos disciplinares contra trabalhadores que se envolveram em actos ilícitos dentro da instituição.

A informação foi avançada hoje, em Maputo, pelo porta-voz da DNIC, Alberto Sumbana, durante uma conferência de imprensa referente ao balanço do ano 2020.

“Tivemos onze processos disciplinares, envolvendo vários funcionários da instituição por infrações cometidas na instituição, desde cobranças ilícitas e o descumprimento das medidas orientadoras na emissão do Bilhete de Identidade”, revelou.

Segundo a fonte, na província de Nampula foram instaurados cinco processos para igual número de trabalhadores, Manica (quatro) ,Cidade de Maputo (uma) e uma outra na Direcção Nacional.

Sumbana garantiu que todos os casos já tiveram desfecho, tendo alguns funcionários sido sancionados com o pagamento de multa e outros à espera de tramitação legal dos respectivos processos junto de instâncias superiores.

De entre as infracções, o porta-voz da DNIC apontou a falsificação de documentos, onde foram neutralizados e detidos 12 cidadãos, dentro de estabelecimentos bancários da cidade de Maputo, quando tentavam abrir contas falsas, com o intuito de desviar valores.

Para controlar e responder o problema de falsificação de documentos de identidade, Sumbana garantiu que existe uma inspeção de todos o documentos pedido. “A DNIC não tem nenhuma ligação com a falsificação de bilhetes de identidade.”

Disse que a instituição tem controle de todos os funcionários no serviço da captação de dados até a entrega final do documento ao cidadão, e que há facilidades de identificar e responsabilizar funcionários que estejam envolvidos em actos ilícitos.

“Estamos atentos como instituição. E todas medidas estão a ser tomadas para que situações desta natureza sejam radicadas. A tolerância é zero para casos de falsificação de documentos”, alertou Sumbana.