Nacional

Idoso assassinado por rejeitar cerimónia tradicional em Mandlakazi

2021-03-05 05:11:35 (UTC+00:00)

Um cidadão de 60 anos de idade foi morto à catanada pelo seu próprio filho, de 27 anos, no distrito de Mandlakazi, em Gaza, por alegadamente se ter recusado a realizar uma cerimónia tradicional, vulgo “kupalha”, para resolver os problemas da família.

MAPUTO- Segundo descreve o porta-voz do Comando Provincial da Polícia, em Gaza, Carlos Macuácua, tudo começou quando o jovem tentava convencer o seu pai a realizar uma cerimónia tradicional para purificar a família dos insucessos da vida, não tendo encontrado resposta desejada do seu pai.

Contrariado com a posição do seu progenitor, o filho "ficou chateado e deu-lhe um golpe fatal" para, de seguida, por peso de consciência, também se enforcar.

A província de Gaza tem registado, nas últimas semanas, frequentes casos de suicídios e homicídios voluntários, deixando um clima de preocupação entre as autoridades policiais e as comunidades locais.

Só na semana passada, segundo Carlos Macuácua, três cidadãos tiraram a própria vida, juntando-se a mais quatro corpos que na semana anterior, foram recolhidos com sinais de enforcamento.

Precisou que no mesmo período, houve registo de dois casos de homicídio voluntários. Os distritos de Limpopo, Xai-Xai, Chongoene e Mandlakazi são os que registam mais casos de homicídios e suicídios, relacionados com frustração, consumo de bebidas alcoólicas, conflitos conjugais e desentendimentos, envolvendo jovens, na maioria dos casos.

Preocupado com o fenómeno, a polícia em Gaza, através do seu porta-voz, aconselha a população a primar pelo diálogo como forma ideal de resolução de qualquer tipo de contradição familiar e social. Explicou ainda que o aumento de práticas suicidas deve constituir uma preocupação para a sociedade, referindo-se importante que as famílias, as igrejas e outras organizações apoiem o Estado no sentido de se encontrarem medidas para se ultrapassar tal fenómeno.