Nacional

Moçambique regista mais 79 novas infeções

2020-08-14 06:19:29 (UTC+01:00)

O país registou de quarta para quinta-feira mais 79 infeções pelo novo coronavírus, elevando o total para 2.638 casos, mantendo-se com 19 óbitos, anunciou ontem o Ministério da Saúde.

MAPUTO- Dos 79 novos casos, 73 são moçambicanos, dois de nacionalidade dominicana e os restantes quatro são da África do Sul, Espanha, Venezuela e Holanda, disse a diretora nacional de Saúde Pública, Rosa Marlene, na atualização de dados sobre a pandemia no Ministério da Saúde, em Maputo.

Os novos casos foram registados em sete províncias do país, nomeadamente Maputo (06), Gaza (05), Manica (16), Sofala (04), Nampula (04), Niassa (01) e Maputo Cidade (43).

"Os casos hoje reportados encontram-se em isolamento domiciliar e, neste momento, decorre a identificação dos seus contactos", avançou Rosa Marlene. Do total de casos registados até ao momento, 2.449 são de transmissão local e 189 importados, referiu.

A diretora nacional de Saúde Pública adiantou que 64 pessoas infetadas pelo novo coronavírus recuperaram nas últimas 24 horas, elevando o número de pessoas nessa condição para 1.015.

A maioria dos casos ativos estão na cidade e província de Maputo, com 579 e 354 pessoas infetadas, respetivamente, seguida de Cabo Delgado, com 236, e Nampula, com 222 casos.

As restantes sete províncias do país registam menos de 120 casos. "Pelo terceiro dia consecutivo, a província de Inhambane (sul de Moçambique) não regista nenhum caso ativo de covid-19", referiu Rosa Marlene.

Moçambique realizou 73.479 testes de casos suspeitos, desde o anúncio do primeiro caso de covid-19 em 22 de março, tendo rastreado mais de 1,7 milhões de pessoas.

Um total de 27.239 pessoas suspeitas de infeção foram colocadas em quarentena domiciliária e 3.711 continuam a ser acompanhadas pelas autoridades de saúde.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 749 mil mortos e infetou mais de 20,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.