Nacional

Nini vai a julgamento acusado de três crimes

2018-09-14 13:49:15 (UTC+01:00)

O Ministério Público acusou formalmente Momad Assif Abdul Satar (Nini) da prática dos crimes de falsificação de documentos, uso de nome falso e corrupção.

MAPUTO- Segundo o Jornal Notícias, no mesmo processo, relacionado com a falsificação do passaporte por si usado, quando esteve furagido da justiça, é também acusado Sahime Mohammad Aslam, seu sobrinho, e verdadeiro dono do nome constante no passaporte falso, e Cidália dos Santos, funcionária do Serviço Nacional de Migração (SENAMI), que emitiu o falso documento de viagem a favor de Nini.

De acordo com a fonte acima citada, o processo já foi remetido ao Tribunal Judicial do Distrito Kamphumu, na cidade de Maputo, abrindo espaço para a realização, em breve, do correspondente julgamento.

Os três réus aguardam julgamento na cadeia, depois que o juiz de instrução criminal lhes negou a fixação de caução, dada a gravidade do crime e o elevado risco de fuga.

Sahime Mohammad Aslam é filho da Farida Satar, irmã mais velha de Nini Satar, ela que também fugiu do país depois de ter-lhe sido concedida liberdade provisória, enquanto respondia por um crime de burla.

Segundo a fonte que temos vindo a citar, Cidália dos Santos é funcionária do Serviço Nacional de Migração há mais de dez anos e está ser investigada em outros processos por si tramitados de forma irregular, tendo favorecido muitos estrangeiros na obtenção do passaporte moçambicano, também de forma fraudulent, segundo conclusões de um relatório de investigação levada a cabo pelo SERNIC, em parceria com a Migração.

A descoberta destes crimes surgiu após o repatriamento de Nini Satar, depois de detido no dia 25 de Julho último na Tailândia, onde já vivia a três anos. As autoridades sempre vaticinaram que, com o regresso ao país deste furagido o caso de falsificação de passaporte ficaria esclarecido, bem como os de raptos que efectuava com ajuda de reclusos nas celas do comando da Políia na cidade de Maputo.