Nacional

PGR recusa estar adiar entrega do relatório de auditoria da Kroll

2017-04-21 07:34:19 (UTC+01:00)

A Procuradora-geral da República, Beatriz Buchili, desmente as acusações de estar a orquestrar manobras para adiar a entrega do relatório de auditoria forense à Empresa Moçambicana do Atum (EMATUM), Proindicus e Mozambique Assets Management (MAM).

MAPUTO - Falando ontem na Assembleia da República (AR), segundo e último dia da apresentação do informe anual sobre a situação geral do estado da justiça, Buchili disse que a complexidade das matérias ditou o adiamento da entrega do relatório da auditoria à PGR, pois o processo do empréstimo às três empresas envolveu instituições bancárias de países estrangeiros.

“Tratando-se de factos ocorridos, em parte, no estrangeiro, no processo-crime, em instrução preparatória accionamos mecanismos de cooperação judiciária internacional, estando o respectivo expediente em curso”, disse citada pela AIM.

A investigação dos empréstimos às três empresas, com garantias do Governo moçambicano e sem o aval da AR, envolve instituições bancárias de vários países do mundo inteiro, incluindo os Emirados Árabes Unidos, Holanda, França, Estados Unidos da América e Reino Unido.

Os empréstimos, que ascendem a dois biliões de dólares, foram concedidos pelos bancos Credit Suisse e da VTB da Rússia. Os empréstimos foram distribuídos pela seguinte forma: EMATUM 850 milhões de dólares, Proindicus (622 milhões) e MAM (535 milhões).

A Procuradora-geral da República, que fez questão de desmentir qualquer interferência política no curso da auditoria, disse que é desejo da PGR ver a Kroll a concluir o seu relatório com toda informação relevante.

A auditoria tem por objectivo verificar a existência de infracções de natureza criminal, entre outras, no processo da constituição, financiamento e funcionamento das referidas empresas.

A auditoria às três empresas está a cargo da Kroll Associates UK, uma consultora internacional contratada pela PGR para o efeito.[CC]