Opinião

Lei
Povo
Revolução

Reunido o Povo
Ouvido os velhos
Os combatentes
Os homens e as mulheres
Após ser dito às crianças
Que o o aprovaram
Promulga-se

Art. 1.º
A Revolução é um acto de amor
E como tal o mais esplendoroso
Cântico à alegria

Art. 2.º
A Revolução constrói-se com homens
E a eles estão reservados todos os lugares
Da mais imensa marcha de fantasia

Art. 3.º
Ser-se revolucionário significa
Amar e
Estar-se disponível a uma grandiosa refeição
Por todos realizada

Art. 4.º
A Revolução é o elemento destruidor
Das classes
Das desigualdades
Da injustiça
E o seu símbolo será
Um grande véu de liberdade

Art. 5.º
A Revolução engrandece-se nas crianças
E, por isso, só uma coisa fica proibida
Ensinar o medo.

Publique-se e façam-se cópias.
Distribua-se a todos
Para que dela façam
O Pão de cada dia.


Maputo, 18 de Agosto de 1979

Carlos Morgado

Carlos Morgado

É natural de Tete tendo iniciado os seus estudos na Cidade da Beira e frequentou a Universidade de Lourenço Marques, até se graduar como Engenheiro Electrotécnico, em 1970. Participou na luta pela independência nacional e cedo se filiou a sua amada Frelimo. Iniciou a sua carreira profissional e reformou-se, na então Deta, actualmente Linhas Aereas de Moçambique. Em Janeiro de 2000 foi nomeado Ministro da Indústria e Comércio, pelo Presidente Joaquim Chissano, cargo que exerceu até Fevereiro de 2005. Faleceu a 15 de Fevereiro de 2007 e a Fundação Carlos Morgado editou a sua poesia postumamente, que aqui partilhamos.