Vida e Lazer

Conto verdadeiro sobre minorias descriminadas

2015-08-27 14:03:55 (UTC+01:00)

Ontem foi o dia marcado para o encontro de um conceituado artista e a sua plateia, a fim, de contar um conto, verdadeiro, sobre o dia-a-dia das minorias descriminadas um pouco por todo país.

MAPUTO-Dadivo José, do grupo cultural Mahamba, preparou um monólogo, intitulado “Procurando uma fortaleza” , apresentado para uma plateia atenta, na Escola de Comunicação e Artes (ECA), em Maputo.

Foi uma conversa entre ele e a plateia, que durou o tempo exacto para apimentar o debate que veio a seguir. Na peça o actor interpretou um homem Homossexual que devido a essa orientação foi rejeitado logo cedo pelo seu pai biológico, que segundo a personagem apesar de o ter renegado como filho, ele sempre foi um homem verdadeiro “meu pai sempre deixou claro oque pensava sobre mim”.

O homem encarnado por Dadivo tinha memórias tristes, acumuladas ao longo de sua vida, mas era optimista com o futuro, “o meu amado Jorge vem buscar a mim e a minha irmã, ele vai nos proteger”, disse o personagem numa das falas, ansiando a chegada do seu amado e protetor que ia salvar a si e a sua irmã da descriminação e do estigma da sociedade onde viviam.

A irmã era albina, triste contou que o pai abandonou-os para casar com outra mulher porque a sua mãe deu-lhe filhos “tortos”.

Dadivo apresentou-se ao pequeno palco enrolado em tecidos coloridos, para pintar em si, a tela do homem que interpretava. “Minha mãe não ensinou-me a mentir e quando ela perguntou-me, eu lhe disse a verdade” disse o personagem lembrando da verdade que provocou o enfarte que matou a sua mãe.

“Aquelas pessoas”… Prostitutas arranjadas pelo padrasto, o rapaz foi violentado sexualmente e na sequencia contraiu o virus do HIV e a mãe não aguentou ouvir tal verdade.

Após a peça seguiu-se uma secção de debate onde cada um na plateia, compartilhou os seus sentimentos e pensamentos sobre o assunto abordado na peça com os demais.[FI]