Vida e Lazer

Craveirinha completaria 94 anos se estivesse vivo

2015-05-27 11:54:53 (UTC+01:00)

Um “tambor velho de gritar” vai passear a sua classe, os seus acordes em forma de poesia, nas vozes de declamadores de diversos movimentos literários de Maputo, para lembrar, José Craveirinha.

Maputo- O inesquecível poeta moçambicano, completaria 94 anos, esta quinta-feira, se fosse ainda vivo. No evento batizado por "Tambor, está velho de gritar - nós, a noite o Zé e a Maria", vai-se lembrar o primeiro nascimento de Craveirinha.

“Nasci a primeira vez em Maio. Isto num domingo, Chamaram-me Sontinho, diminutivo de Sonto (Domingo), Isto por parte da minha mãe, claro. Por parte do meu pai, fiquei José. Nasci a segunda vez quando me fizeram descobrir que era mulato… A seguir, fui nascendo à medida das circunstâncias impostas pelos outros”. José Craveirinha

Em memória, a Craveirinha, o Universos e a ECA - Escola de Comunicação e Artes da Universidade Eduardo Mondlane, prepararam um encontro de poetas, artistas e o público no geral para em conjunto lembrar o autor de vários poemas que deram origem a livros conhecidos um pouco pela lusofonia e pelo mundo. [FI]