Vida e Lazer

Mulher detida por ter ligado para a filha no Dia das Mentiras

2021-04-05 07:16:58 (UTC+01:00)

Uma mulher norte-americana foi detida depois de ter ligado à filha, no Dia da Mentiras, e ter fingido que estava num tiroteio.

De acordo com o departamento de polícia do condado de Sedgwick, em Wichita, no estado do Kansas, Arnthia Willis, de 58 anos de idade, ligou para a filha no dia 1 de abril, mencionou um "tiroteio" e desligou.

Compreensivelmente assustada, a filha ligou para os serviços de emergência, tendo sido deslocado para casa de Arnthia um dispositivo composto por ambulâncias e 15 agentes da polícia, preparados para lidar com um tiroteio - com as armas desembainhadas e vestidos com equipamento de proteção completo.

Os agentes arrombaram a porta de entrada, mas encontraram a residência vazia, segundo explica a imprensa local.

Mais tarde, percebeu-se que Arnthia Willis estava no seu local de trabalho e que tinha, alegadamente, pregado uma partida à filha. A mulher foi detida sob suspeita de solicitação ilegal de assistência de emergência.

O chefe da polícia do condado de Sedgwick, Ronald Hunt, indicou que, embora as partidas do Dia das Mentiras possam ser "positivas", quando se envolve a polícia "deixa de ser engraçado". "É uma situação muito perigosa", alertou.

Recorde-se que os Estados Unidos são um dos países mais impactados por incidentes isolados de violência armada. Só este sábado, pelo menos três pessoas morreram e outras nove ficaram feridas em dois tiroteios ocorridos nas cidades norte-americanas de Wilmington (na Carolina do Norte) e Tuscaloosa (Alabama).