Vida e Lazer

Religioso que defendeu castigo para adultério foi castigado por adultério

2019-11-14 07:42:14 (UTC+00:00)

Um religioso indonésio foi publicamente chicoteado por adultério, de acordo com uma lei que ele próprio ajudou a estabelecer.

Mukhlis bin Muhammad, de 46 anos, membro do conselho religioso de Aceh, província mais conservadora da Indonésia, recebeu 28 chicotadas em frente a uma multidão, no início deste mês, por ter sido apanhado a ter um caso com uma mulher casada.

A mulher em questão também foi castigada, recebendo 23 chicotadas, segundo indica a CNN.

Recorde-se que a província de Aceh é a única região do país onde se impõe a Sharia, a lei religiosa mais conservadora, que se rege pela tradição islâmica, ou seja, impõe castigo para homossexualidade, consumo de álcool ou adultério.

O homem, que foi o primeiro líder religioso a ser açoitado desde que a Sharia entrou em vigor naquela região, será ainda expulso do conselho religioso.