Vida e Lazer

ZAP dá golpe de teatro no mercado das TV por subscrição

2015-06-09 06:05:51 (UTC+01:00)

Um autêntico golpe de mestre é como se pode descrever o que está para acontecer no mercado da TV paga em Moçambique e Angola.

MAPUTO- A partir de 1 de Julho a ZAP "rouba" a Globo a DSTV e com uma característica interessante! A Globo passará a poder ser vista em HD (alta definição algo que não acontecia na DSTV) e terá ainda um outro canal que compilará todas as séries e novelas durante o dia inteiro.

A verdade é que Isabel dos Santos já havia revolucionado o mercado da TV paga ao conseguir ficar com a exclusividade dos jogos da Liga Portuguesa tendo capturado dessa forma grande parte do mercado masculino de TV dos PALOP’s, mas fundamentalmente e por complemento todos os conteúdos legendados e em HD como filmes e séries. No entanto o mercado feminino sempre serviu de "barreira" a uma migração de produto entre a DSTV e a ZAP, pois o público feminino não abdicava de ter o canal GLOBO em casa. Grande parte dos cidadãos que não podiam ter os dois produtos em casa - ZAP e DSTV optavam por nos dias dos jogos se deslocarem a restaurantes ou bares que tinham os jogos e se mantinham no produto DSTV.

Agora a história pode ter contornos diferentes, pois o que poderia manter o produto DSTV popular pelo menos no sector masculino (canais Supersport) e mais especificamente a Liga dos Campeões e a Liga Inglesa poderá não ser suficiente se Isabel "patrocinar" um ou mais canais "locais" (STV, TIM, TVM etc) e "oferecer" contra publicidade da ZAP por exemplo os dois melhores jogos da Liga Inglesa e da Champions por semana.

Sobre se a Globo constará do pacote Premium e o mesmo se manterá com o mesmo preço ainda não se sabe, mas que esta mudança irá obrigar a uma alteração nos preços da DSTV tal é inquestionável julgamos. Veremos até onde vai a guerra entre estes concorrentes mas pelo menos em 2015 a ZAP inaugurou o marcador - ZAP 1 DSTV 0. Veremos também se a Liga Inglesa e a Champions em HD são suficientes para manter a DSTV viva nos PALOP pois a Record é manifestamente pouco para o consumidor do produto Brasil. [MCM]