Internacional

Mais de 10 mil crianças em grupos armados na RCA

2024-02-13 10:40:31 (UTC+00:00)

Cerca de 10 mil crianças continuam a combater, ao lado de grupos armados na República Centro-Africana (RCA), há mais de uma década, após o início da guerra civil, revelou, esta segunda-feira, o governo.

Em comunicado, a ministra da Família e do Género, Marthe Kirima, afirmou que as crianças continuam a ser recrutadas como combatentes, espiões, mensageiros, cozinheiros e até usadas como escravas sexuais.

Embora 15 mil crianças tenham escapado das forças rebeldes, muitas estão traumatizadas e têm dificuldade em regressar à vida normal, acrescentou.

Hoje, assinala-se o Dia Internacional Contra a Utilização de Crianças-Soldados, estimando o Conselho de Segurança da ONU que haja 300 mil crianças-soldados espalhadas pelo menos em 86 países.

A RCA, país rico em minerais, mas considerado um dos mais pobres do mundo, atravessa um conflito desde 2013, quando os rebeldes Seleka, predominantemente muçulmanos, tomaram o poder e forçaram o então Presidente François Bozize a abandonar o cargo.

As milícias, maioritariamente cristãs, ripostaram, e o conflito atinge, também, a população civil.

As Nações Unidas, que têm uma missão de manutenção da paz no país (Minusca), estimam que os combates tenham matado milhares de pessoas e deslocado mais de 1 milhão, ou seja, um quinto da população.