Internacional

ONU saúda fim da detenção de fundador da WikiLeaks

2024-06-25 12:39:15 (UTC+01:00)

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) congratulou-se, hoje, com o fim da detenção no Reino Unido do fundador do WikiLeaks, Julian Assange.

“Congratulamo-nos com a libertação de Julian Assange (…) e com os progressos significativos registados no sentido de uma resolução definitiva deste caso, sem mais detenções”, disse a porta-voz do ACNUDH Elizabeth Throssel à agência francesa AFP.

Assange estava hoje a caminho de uma audiência num tribunal federal norte-americano nas Ilhas Marianas, de onde se espera que saia em liberdade, depois de ter chegado a um acordo com o sistema judicial dos Estados Unidos.
Throssel disse que o caso Assange “levantou uma série de questões relacionadas com os direitos humanos” e que a sua detenção “cada vez mais prolongada” também suscitou preocupações.
“Vamos continuar a acompanhar os desenvolvimentos nos próximos dias”, acrescentou a porta-voz em Genebra, Suíça.
Assange é agora acusado de “conspiração para obter e divulgar informações relacionadas com a defesa nacional”.
De acordo com os documentos do tribunal norte-americano, citados pela Lusa, deverá declarar-se culpado apenas desta acusação e ser condenado a 62 meses de prisão, uma pena já cumprida em prisão preventiva em Londres. A decisão permitirá a Assange regressar à Austrália.