Internacional

Pelo menos 19 mortos em atentado contra centro de educação em Cabul

2022-12-01 08:25:15 (UTC+00:00)

Pelo menos 19 pessoas morreram e 27 ficaram feridas esta sexta-feira, num ataque suicida contra um centro de educação para estudantes em Cabul, num bairro onde vive a minoria Hazara, segundo o mais recente balanço da polícia afegã.

"Os alunos estavam a preparar-se para um exame quando um homem-bomba se fez explodir neste centro educacional. Infelizmente, 19 pessoas morreram e outras 27 ficaram feridas", explicou o porta-voz da polícia, Khalid Zadran.

Este centro de formação prepara alunos a partir de 18 anos para os seus exames de acesso à universidade.

Este ataque, que visa mais uma vez o mundo da educação, ocorreu no distrito de Dasht-e-Barchi, a oeste de Cabul, uma área predominantemente muçulmana xiita onde vive a comunidade minoritária Hazara, palco de alguns dos ataques mais mortíferos no Afeganistão.

Vídeos publicados nas redes sociais e fotos divulgadas pelos "media" locais mostram vítimas ensanguentadas a serem retiradas do local da explosão.

A maioria das vítimas transportadas para hospitais são mulheres, observou um jornalista da agência France-Presse (AFP).

Listas de mortos ou feridos foram penduradas na entrada dos hospitais para onde convergem as ambulâncias.

"Atacar alvos civis prova a crueldade desumana do inimigo e a falta de padrões morais", realçou o porta-voz do Ministério do Interior, Abdul Nafy Takor.

Em 20 de Abril, pelo menos seis pessoas morreram e 24 ficaram feridas em duas explosões que atingiram uma escola para meninos no mesmo bairro, na zona oeste da capital.

Dasht-e-Barchi foi duramente atingido nos últimos anos e, desde o regresso dos talibãs ao poder em 2021, vários dos ataques foram reivindicados pelo EI-K, braço regional do grupo "jihadistas" Estado Islâmico, que considera os hazaras hereges.

Em Maio de 2021, uma série de explosões também ocorreu em frente a uma escola feminina no mesmo distrito, causando a morte a 85 pessoas, a maioria das meninas do ensino intermédio, e ferindo mais de 300.

O EI, que já tinha assumido a autoria de um ataque, em outubro de 2020, contra um centro educacional (24 mortos) na mesma área, é fortemente suspeito de ter realizado este ataque.

O regresso dos talibãs ao poder em Agosto de 2021 encerrou duas décadas de guerra no Afeganistão e levou a uma redução significativa da violência, mas a segurança começou a deteriorar-se nos últimos meses.

A educação é uma questão extremamente delicada no Afeganistão, com os talibãs a impedirem muitas raparigas de regressarem à escola. O grupo Estado Islâmico também se opõe à educação de mulheres e meninas.