Internacional

Tribunal francês ordena remoção da estátua da Virgem Maria

2023-01-18 13:07:01 (UTC+00:00)

A estátua foi erguida por uma família da ilha atlântica de Ìle-de-Ré, no município de La Flotte, após a Segunda Guerra Mundial, quando o pai e filho terem retornado vivos do conflito.

Segundo o tribunal francês, esta exibição religiosa viola a separação entre a igreja e o Estado, daí a razão da ordem de remoção.

Inicialmente, encontrava-se num jardim privado, mas a família depois doou-a à cidade, que a instalou num cruzamento, em 1983.

La Libre Pensée 17, uma associação dedicada à defesa da laicidade, mas avançou com uma queixa contra a estátua, com base no facto de uma lei francesa de 1905 proibir monumentos religiosos em espaços públicos.

Um tribunal de Poitiers deu seguimento à queixa, tal como, em recurso, o tribunal regional de Bordeaux. Por fim, La Flotte foi ordenada a remover a estátua, de acordo com um comunicado à imprensa.

O autarca local Jean-Paul Heraudeau considerou a discussão em torno da estátua de "ridícula", até porque a mesma, defende, faz parte do "património histórico" da cidade e deveria ser considerada "mais um memorial do que uma estátua religiosa".

Apesar de admitir que as autoridades não tiveram a intenção de expressar qualquer preferência religiosa, o tribunal disse também que "Virgem Maria é uma figura importante na religião cristã", o que lhe confere "um caráter inerentemente religioso".

Agora, a autarquia tem seis meses para retirar a polémica estátua.