Nacional

EUA consideram ataque a Ericino de Salema atentado a liberdade de expressão

2018-03-29 06:58:01 (UTC+01:00)

A embaixada dos EUA em Maputo considera o rapto e a agressão do jornalista e comentador político Ericino de Salema um ataque contra a liberdade de expressão e imprensa, condenando veementemente o acto.

MAPUTO- "Embora não se saiba quem são os perpetradores ou a sua motivação para levar a cabo este crime hediondo, tal acto de violência contra um respeitado jornalista em frente ao Sindicato Nacional de Jornalistas é um ataque à liberdade de expressão e liberdade de imprensa, pilares sobre os quais qualquer democracia deve assentar", refere uma nota da embaixada norte-americana em Maputo.

Os EUA, continua a nota, defendem uma investigação exaustiva e transparente para assegurar que os responsáveis por este ataque sejam levados à justiça.

"Os Estados Unidos mantêm-se solidários com todas as forças vivas da sociedade moçambicana que manifestaram a sua indignação contra este crime e defenderam a importância duma imprensa livre e independente como um pilar da democracia moçambicana", diz o comunicado.

Ericino de Salema foi encontrado gravemente ferido no distrito de Marracuene, a oito quilómetros do centro de Maputo, algumas horas após ter sido raptado por desconhecidos.

O jornalista foi encontrado por populares abandonado no passeio da estrada circular de Maputo em Marracuene, província de Maputo, e depois transportado para o Hospital Privado de Maputo, onde se encontra internado.

Ericino de Salema, foi raptado à saída do SNJ, onde se deslocou para almoçar no restaurante do local. O ataque ao jornalista está a ser alvo de forte repúdio em vários quadrantes da sociedade moçambicana e por organizações internacionais de defesa dos direitos humanos.