Governo propõe soluções para Ematum

2016-03-18 07:08:28 (UTC+00:00)

O governo propôs aos detentores das obrigações actuais da Empresa Moçambicana de Atum (Ematum) uma troca por novos títulos com uma taxa fixa de 10,5% ao ano e uma extensão da maturidade em três anos até 2023.

De acordo com o documento apresentado aos investidores, concretamente, a proposta de troca envolve uma nova emissão de obrigações no montante de 585,5 milhões de dólares com uma taxa de cupão de 10,5% e maturidade em 2023 contra a actual, que paga uma taxa de 6,3% ao ano, tem maturidade em 2020 e que tem ainda por amortizar 697 milhões de dólares.

Os problemas relacionados com esta emissão de obrigações, já apelidada de “emissão do atum”, fizeram com que as agências Moody’s e Standard & Poor’s tenham revisto em baixa a classificação de risco de Moçambique, de acordo com comunicados divulgados terça-feira.

A Moody’s, por exemplo, reviu de “B2” para “B3”, classificação que especifica que as obrigações são consideradas especulativas e de risco elevado, a notação de risco de novas emissões e advertiu que esta nova notação fica sob vigilância para possível nova revisão em baixa.

A Standard & Poor’s, por seu turno, cortou a notação de risco de Moçambique em quatro níveis, de “B-“ para “CC”, o que significa que “o emitente encontra-se actualmente numa situação altamente vulnerável”, a apenas dois níveis de “D” ou incumprimento.[CC]