Nacional

Moçambique vai começar a desligar os emissores analógicos de televisão a partir da Segunda-feira

2021-09-17 18:03:27 (UTC+01:00)

Moçambique começa a desligar os emissores analógicos de televisão na segunda-feira, anunciou hoje o Instituto Nacional de Telecomunicações (INCM) em comunicado.

"No dia 20 de setembro serão desligados os emissores de radiodifusão analógicos localizados nas cidades de Maputo, Nampula e Tete", refere-se, indicando que este é o primeiro encerramento no processo de transição para sinal digital, a concluir até final do ano.

Numa primeira fase, até 30 de setembro, vão ser desligados 16 emissores em todo o país e numa segunda fase, até final do ano, seguem-se outros 14 em zonas mais remotas.

O sinal aberto de televisão digital terrestre no país foi inaugurado a 08 de outubro de 2020, na cidade da Beira, pelo Presidente moçambicano, Filipe Nyusi.

"A nossa meta é aumentar a cobertura territorial para 85% em 2024" e "iniciar a migração da radiodifusão sonora", explicou na altura.

O chefe de Estado pediu estudos detalhados para que o apagão analógico não seja "um fator de exclusão".

A migração da radiodifusão analógica para digital é garantida com financiamento chinês no valor de 156 milhões de dólares (127 milhões de euros).

A rede combina 60 retransmissores espalhados pelas capitais provinciais e vários distritos e arranca com 18 canais abertos.

Para ligar televisores analógicos à nova norma são necessários conversores vendidos em agentes autorizados da Transporte, Multiplexação e Transmissão (TMT), empresa pública responsável pelo sinal, ao preço de 1.200 meticais (cerca de 16 euros).