Nacional

Nyusi não avisou que ia a Gorongosa para não ser impedido pelos "camaradas"

2017-09-30 06:48:06 (UTC+01:00)

O Presidente da República e da Frelimo, Filipe Nyusi, pediu desculpas à população de Sofala, por ter ido à serra da Gorongosa, ter com o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, sem informar às estruturas administrativas locais.

MAPUTO- Nyusi que falava, ontem, no XI congresso do partido no poder, que decorre no município da Matola, província de Maputo, explicou tomou tal atitude por recear que os seus camaradas lhe impedissem de prosseguir viagem, para o encontro com Afonso Dhlakama.

Aliás, segundo disse, as Forças de Defesa e Segurança, quando souberam da sua intenção, também não concordaram. Porém, sendo ele o comandante em Chefe das FDS, acabaram por lhe obedecer, permitindo que se deslocasse a Gorongosa.

Prosseguindo com a sua explanação, Filipe Nyusi disse que a sua ida à Gorongosa não tem nada de extraordinário, pois ele foi como Presidente da República de Moçambique e Gorongosa faz parte deste território. "Eu não sou Presidente de Maputo, mas sim de todo o país", sublinhou Nyusi.

Ele acrescentou que o encontro com "o meu irmão Dhlakama correu bem, tanto que da previsão de 45 minutos, conforme havíamos combinado, a conversa acabou por durar duas horas".

Nyusi disse que não vale a pena perguntar o conteúdo da conversa, pois já se sabe: é a paz em Moçambique.

Ainda na sessão em que pediu desculpas a Sofala, pelo embaraço criado, explicando que durante o encontro teria dito a Afonso Dhlakama que iria visitar o pai dele, ao quê disse "não estará com o meu pai mas sim com o Régulo Mangunde, de uma das localidades do pais onde é Presidente da República".

Na mesma ocasião Filipe Nyusi se desculpou à população de Manica por ter atrasado a um encontro popular, na sequência da sua deslocação à Serra da Gorongosa, que durou muito mais tempo do que o previsto, por, segundo suas palavras, "ter sido uma conversa animada".