Nacional

UE prorroga missão militar em Moçambique

2024-05-15 12:16:48 (UTC+01:00)

O Conselho da União Europeia anunciou, ontem, a prorrogação da missão de treino militar em Moçambique até 30 de Junho de 2026, com um orçamento previsto de 14 milhões de euros para os próximos dois anos.

Bruxelas anunciou que vai também "adaptar os objectivos estratégicos da missão" por causa da alteração das circunstâncias, "transitando, assim, de um modelo de treino para um de assistência", com aconselhamento e "treino especializado" às Forças de Reacção Rápida (QRF) e as Forças Armadas de Defesa de Moçambique (FADM).

Na sequência desta alteração estratégica, a UE vai renomear a missão para Missão de Assistência Militar da UE em Moçambique (EUMAM Moçambique), com efeito a partir de 01 de Setembro de 2024.

A Missão de Treino da União Europeia em Moçambique (EUTM-MOZ), liderada por Portugal, formou mais de 1.650 militares moçambicanos das forças especiais que já combatem o terrorismo em Cabo Delgado.

Os comandos e fuzileiros moçambicanos formados pela EUTM-MOZ já estão no terreno, numa altura em que está em curso a retirada das forças militares dos países da África Austral que apoiavam Moçambique no combate.

A missão de formação EUTM-MOZ integra 119 militares de 13 Estados-membros, mais de metade de Portugal, mas tem a particularidade de integrar outros dois países, fora da União Europeia, que contribuem com um militar cada, casos da Sérvia e de Cabo Verde.

Através do Mecanismo Europeu para a Paz, a União Europeia apoiou ainda as Forças Armadas moçambicanas com 89 milhões de euros para a aquisição de equipamento não letal para as unidades treinadas pela EUTM-MOZ.