Vida e Lazer

Violador liberto por aceitar casar-se com a vítima

2022-12-31 07:16:42 (UTC+00:00)

Um homem condenado a prisão perpétua por violar uma jovem mulher surda acabou por ver a pena revogada, após aceitar casar-se com a vítima, com quem teve um filho fruto da violação.

A pena alternativa à prisão perpétua foi concedida a Dawlat Khan pelo "concelho de anciãos" que propôs ao tribunal distrital de Buner, na província de Khyber Pakhtunkhwa, no noroeste do Paquistão, e, assim, a sentença dada em Maio pelo foi anulada, livrando-se da prisão perpétua.

“As partes resolveram o problema com a intervenção do familiar e anciã dos familiares, o que é do interesse das partes. O acordo foi feito no melhor interesse da criança, tomando em conta que a sua mãe é uma pessoa especial”, dizia o documento do tribunal, citado pelo jornal britânico The Guardian.

A activista paquistanesa de direitos humanos Tahira Abdullah mostrou-se indignada com a decisão, condenando a libertação do homem e a "desumanidade" de forçar uma mulher com uma deficiência a casar-se com quem a atacou sexualmente.

“As leis da violação no Paquistão devem ser alteradas, para mudar a violação de um crime privado contra uma pessoa, para um crime contra o Estado, segundo o qual o Estado deve tornar-se o protetor da vítima e processar o caso, a fim de evitar qualquer forma de compromisso privado, acordo financeiro ou "perdão" – que é forçado por pessoas ricas e influentes contra os pobres e impotentes e é, sempre, injusto para a pessoa violada", disse Abdullah, citada pelo diário britânico.